Que baita surpresa!

Ele era um cara normal, apesar de um pouco metódico. Morava em uma casa confortável, tinha uma vida igualmente confortável, sem luxos. Os filhos estudavam em escola particular e seu carro um modelo intermediário, mas topo de linha, com ar, tecnologia de ponta, tratado com cuidado e carinho. Não chamava a atenção.

Mas um dia, algo diferente aconteceu no caminho de sempre, no horário de sempre. Dois sujeitos se aproximaram do carro, parado num sinal vermelho, cada um de um, lado: passa tudo que tem aí cara! Foi a ordem com voz de poucos amigos.

Sua reação foi calma. Olhou pelo retrovisor e reagiu: por que eu, se aí atrás tem uma baita Mercedes AMG? Esse cara deve ter mais para oferecer do que eu.

-Ele tem razão!

E lá se foram os dois mal-encarados assaltar o motorista da Merça. E deram no pé, levando celular, computador e, certamente uma carteira com grana.

Ele ficou aliviado e foi para o trabalho,

Na semana seguinte, no mesmo bat-horário e bat-local, eis que surgem dois sujeitos, talvez os mesmos, ameaçando-o com armas e pedindo que lhes entregassem tudo o que tinha. Sem entender por que seu carro, tão simples era alvo da bandidagem, olhou pra frente e disse: olha ali aquele Audi A8, muito chic. Com certeza o dono tem mais grana que eu. Olhem pro meu carro, é um carro qualquer.

E repetiu-se a cena da semana anterior.

Homem de hábitos rígidos, ele não mudou de itinerário, muito menos de caminho. Por isso, semana sim, semana não, era vítima de uma tentativa de assalto. E, como havia dado certo desde a primeira vez, olhava pelo retrovisor, pra frente, pros lado e encontrava um carro chic para indicar aos assaltantes.

Depois de muitas queixas, a Polícia montou campana na região e, numa segunda-feira, depois do Corinthians ter perdido para o São Bento no domingo, ele saiu de casa, pensando que sua semana seria muito ruim.

E começou mal, mesmo. Os dois bandidos chegaram perto dele que, já habituado, não tirava os olhos de uma BMW M5, maravilhosa! Quando ele mostrou a máquina pros bandidos, ouviu um vigoroso: teje preso!

Foi preso em flagrante, indiciado como chefe da quadrilha que agia na região.

Obs: a sorte é que ele contara a sua forma de se livrar dos assaltos pro seu cunhado, delegado de Polícia, que livrou sua cara.

Chico Lelis