O futuro do passado

Como numa ficção científica, vi meu rosto turvo refletido numa fresta da janela de meu quarto, 20 anos mais velho. Pelo aspecto, parecia que eu estava com 70/73 anos.

Nas minhas contas, considerando o dia do meu nascimento no documento, 1948, subtraído do ano 2021, são 73 anos. Menos 1/3, 21 anos que passei dormindo. Ou seja, tenho 52 anos. Será que preciso acrescentar as horas, dias ou anos que sonhei? Sonhar dormindo vale como viver?

Então, na janela, vi uma visão do futuro passado a limpo, como num portal iluminado, mas turvo de névoa e meio desfocado, como numa conexão de vídeo sem qualidade, ou uma pintura barroca, com enquadramento aberto e iluminação obscura, onde os planos se confundem.

É como se o futuro já tivesse passado. Estava à frente, no reflexo, mas atrás, no plano real. O futuro foi ontem. Mais ou menos como olhar pelo retrovisor do carro. O outro veículo está refletido no espelho, mas não significa que ficou no passado, assim como o carro da frente não está no futuro.

Um observador pode enxergar posições diferentes, dependendo de seu ponto de vista. Como a teoria da relatividade de Einstein, onde o espaço-tempo considera as quatro dimensões, três espaciais e uma temporal.

Voltando ao sono, tempo que dormi ou vivi sonhando, a ciência aponta que quanto menos tempo de sono, mais curta será a vida. Então, se eu dormir dois terços do dia, ou seja, 16 horas e ficar acordado apenas 8 horas vou viver 30% mais? Bom, acho que não dá para enganar a natureza. A nossa foi programada para dormir à noite. Talvez apagar as luzes ajude.

As árvores, por exemplo, também “dormem” durante a noite. Não se trata de se deitarem ou mudarem bruscamente de posição, mas enquanto o sol não está brilhando, os galhos e folhas ficam mais caídos. A explicação dos cientistas é de que o fenômeno ocorre como estratégia natural para economizar energia. Já que durante a noite as plantas não realizam sua principal atividade, que é a fotossíntese.

Tenho tomado muito sol todo dia. Mas, só ganho rugas e estrias parecidas com escamas. Acho que ao invés de fazer fotossíntese e virar árvore, estou virando peixe. Faz um pouco de sentido, já que meu signo é aquário.

Vamos acordar!

Nereu Leme

Um comentário

Deixar uma resposta