Tempo, tempo

O tempo passa. O tempo voa. Reparem: hoje e domingo, amanhã é quarta-feira, e depois de amanhã é domingo de novo. Você nem sente. Se tem uma certa idade e está aposentado – como eu, por exemplo – sente menos ainda.

Tem uma teoria indicando que a velocidade do tempo depende de quanto tempo já foi passado para cada um. Uma criança de um ano de idade sente a passagem de um ano como se estivesse passando toda uma vida. Para quem tem sessenta anos, um ano representa um/sessenta avos de sua vida. Teoricamente, aritmeticamente, representaria pouco mais de seis dias na expectativa da criança do exemplo anterior.

Na contagem do que falta também vale esse parâmetro. É como um carro numa estrada: à medida que o destino vai se aproximando, parece que os quilômetros vão sendo comidos mais rapidamente.

A diferença é que, numa viagem, você sabe onde é o ponto de chegada, quantos quilômetros faltam para o fim. Na vida, não. A viagem pode demorar muito, ou você pode inadvertidamente tomar alguns atalhos.

Tenho uma amiga psicóloga que diz que, se você se preocupar muito com a morte, acaba esquecendo de viver. Concordo. Mas ressalvo: você se preocupando ou não, ela vai estar lá, à espreita, depois de uma curva ou ao final de uma reta. Quando você menos esperar. Posso consultar este texto, daqui a alguns anos, no arquivo do blog; ou posso nem chegar a vê-lo publicado. Não sou eu quem decide.

Você ler nas redes sociais, cada vez com mais frequência, que seus amigos, seus companheiros de geração, chegaram ao fim da viagem não é coincidência. Todo mundo, incluindo nós mesmos, temos um roteiro a cumprir. Quando cumprirmos, não adianta tocar a buzina, acender o pisca-alerta, saltar pela porta com o veículo em movimento. Acabou, e pronto.

Mas quem tem mesmo razão é essa minha amiga psicóloga: a gente não tem como evitar, o dia vai chegar – mais cedo ou mais tarde. E a gente pode ficar sentado no trono de um apartamento, com a boca escancarada cheia de dentes, esperando a morte chegar…

Ou prosseguir apreciando a paisagem.

Marco Antonio Zanfra

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.