Adeus, Lancelot!

Disseram que ele ia dormir numa cama maior, mais macia, num cantinho aconchegante, cheirando a jasmins, ou pão de queijo, ou hortênsias, ou biscoito de polvilho, dependendo da vontade dele; e que ia poder comer o que bem entendesse, manga,…

Leia mais

Uma dor quase crônica

O velho jornalista se espreguiça, agora com mais dificuldade, no banco da sacada de seu apartamento. Pela vidraça, espia o mundo lá fora, quer dizer, o pouco que dá pra ver desse seu mundinho atual: as piscinas, agora vazias por…

Leia mais

Ornitologia para principiantes

Tenho um amigo que inaugura todas as suas manhãs no Instagram com a foto de um passarinho. Tasca lá um bom dia e o ilustra com a imagem de nossos amiguinhos alados, ora se alimentando, ora em posições acrobáticas, ora…

Leia mais

Festa na natureza

Morar na única capital do País, com menos de 300 mil habitantes, tem muitas vantagens. Uma delas é conviver diariamente com as maravilhas da natureza, num momento tão triste, em que temos um genocida na Presidência e ecocidas, no Ministério…

Leia mais

Fábula revisitada

Sou obrigado a conviver aqui em casa com uma numerosa e eficiente colônia de pequenas formigas. Eficiente porque não são necessários mais do que dois minutos para que elas se acerquem de um único e solitário grão de arroz inadvertidamente…

Leia mais

Minha mãe também era uma peça

Não sei quanto a de vocês, mas minha mãe, plagiando o saudoso Paulo Gustavo, sempre foi uma peça. E não pensem que é de hoje, não. Nascida na roça, região entre sul de Minas e nordeste de São Paulo, no…

Leia mais

Rir é o melhor remédio?

Se eu tinha dúvidas em relação à ortodoxia do velho ditado, a morte de Paulo Gustavo acabou por confirmar meus temores: rir pode ser o melhor remédio, mas não nos oferece a isenção total, a capacidade de nos tornar imunes…

Leia mais

Maior e vacinado

Cada um sabe de si. Esse ditado popular parece mesmo uma frase feita para esses tempos de pandemia que vivemos. Fico pensando se realmente isso é verdade. É como dizer que a pessoa é maior e vacinada, outro clichê, e…

Leia mais

Virei crocodilo

Tomei neste 20 de abril, véspera de Tiradentes, a segunda dose da CoronaVac. Se com a primeira fiquei Jacaré – conforme disse o suprassumo da idiotice -, agora então sou crocodilo. Mais forte? Pode até ser que, daqui a uns…

Leia mais

Vacinado, mas não muito

Dá para confiar na memória de um cara de sessenta e cinco anos? Diz a ciência que a memória começa a declinar aos cinquenta e essa derrocada se intensifica aos sessenta. Então, como esperar que, daqui a três meses –…

Leia mais

Finalmente!!!

A princípio, pensava que tudo passaria, rapidamente, como a Influenza… De março a setembro de 2020, evitei ao máximo sair de casa e até receber a diarista. Paguei para ela não vir limpar a casa, mesmo depois que teve a…

Leia mais

O jornalismo, antes e agora

Há uns 40 anos, fui parar numa redação de jornal… cheia de homens. Mulheres? Só três, uma delas secretária do diretor e parente do dono da empresa. Havia uns 100 machos (machos, mesmo, bem no estilo do genocida que governa…

Leia mais