Categoria Histórias Reais

Assim na terra como no céu

Se o estimado leitor já teve a ousadia de comentar, perto de alguém, que tem um certo temor de entrar num avião e sentir-se tranquilo olhando a paisagem nas nuvens a doze mil pés de altura, certamente deve ter ouvido…

Eu, escória do jornalismo

No início de minha carreira, no final dos anos 1970, após ter passado pela revisão do Grupo Folhas e pela Folha Metropolitana, de Guarulhos, retornei à Agência Folhas para trabalhar no plantão da madrugada, da 1 às 7 da manhã.Nossas…

O fotógrafo abre-alas

Tínhamos na redação da revista Agora! (Editora Três, 1984-1985) um fotógrafo (cujo nome não vou citar) que usava uma artimanha, uma espécie de jogo de palavras, para franquear nossa entrada em locais onde normalmente a imprensa não era bem-vinda, especialmente em prontos-socorros…

Lé com lé, cré com cré, um sapato em cada pé

Impossível ler o texto do Chico Lelis sobre o sapato que fazia caminhos tortuosos nos pés de seu dono e não me lembrar de um caso que aconteceu comigo. Não que tenha envolvido um par de mocassins com vida própria,…

Luzes, câmera…

Esta história aconteceu comigo, muito tempo atrás, quando eu ainda era um franguinho dando minhas primeiras ciscadas no terreiro da reportagem policial. Ou, se preferir levar dentro das normas rígidas da zoologia profissional, não era um franguinho, e sim um…

When I’m Sixty-four

“When I get older losing my hair/Many years from now” A primeira estrofe da música dá à luz uma primeira dúvida: será que John Lennon teria perdido seus cabelos ao chegar aos sessenta e quatro? E mais, ainda com base…

Bodas de Prata

A gente pode comemorar uma separação? Pois cá estou eu, neste 17 de março, comemorando Bodas de Prata ao contrário: completo vinte e cinco anos de um descasamento muito feliz e harmonioso com a bebida. Sabe aquele padrão Alcoólicos Anônimos,…

Apocalipse now

Quando cursei o catecismo para fazer a primeira comunhão, mais de remotos cinquenta anos atrás, acostumei-me à ideia de que Deus acabaria com o mundo de uma só tacada. De tanto ouvir a alegoria do Juízo Final, dos Quatro Cavaleiros…

“Pai, fui assaltada!”

Devia ter passado um pouco da meia-noite quando o telefone tocou, na cabeceira da cama. Calculo que fosse pouco mais de meia-noite porque tinha me posto a dormir minutos antes e já estava nas proximidades do reino de Morfeu. O…

É com Xota

Nós moramos num lugar chamado Pinhal Alto, no interior de Nova Petrópolis, na serra gaúcha. Foi colonizado por alemães em meados do século XIX. Até a Segunda Guerra, o nome era Tannenwald (Mata de Pinheiros) e foi aportuguesado por motivos…