O que o tempo altera e vira história

Roger

Entre e conte sua história!

“Agora é hora de contar história. Deixar o tempo reviver na memória o que foi
passado, o que foi emoção, o que foi glória. Conto um conto cheio de encanto, de alegria ou pranto.
Um final feliz, simples e pronto.”

Ritinha, minha canoa e o fazendeiro

Este caso me foi repassado por um ex-jornalista da revista DBO Rural, e que durante muito tempo também militou em outros veículos da chamada mídia do campo. Fonte fidedigna, é claro. O personagem da vez é o fazendeiro mineiro Tião Maia, falecido em 2005, que foi um dos maiores criadores de gado…

Escolha de Sofia

Esta pandemia às vezes nos dá a impressão de estarmos vivendo num postulado filosófico de Dilma Rousseff: “Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta.” Ou seja, não sabemos até quando ficaremos em quarentena – se pensar bem, não sabemos…

A casa que amava seus donos

Era uma casa charmosa. Não exatamente bonita pelos padrões atuais de arquitetura, mas muito, muito charmosa. De rara elegância. E era também muito orgulhosa. Sabia que era a mais bem tratada da rua dos Albericos (ninguém nunca soube o porquê do nome, nem conheceu ninguém com ele que lá tenha…

Uma chuvinha em cima

Que se dane o duplo sentido, mas não existe nada mais saboroso do que acordar com o som da chuva tamborilando no telhado de casa! É claro que isso não se aplica a quem precisa levantar para o trabalho. Ou para trocar uma telha quebrada que provoca goteira. Ou para…

Veranico

(Ensaio sobre o prazer. O prazer puro) Era maio. Mais um desses períodos de lindas e frescas noites, com dias de reinado dos “sóis” do veranico que esquentam, suas tardes. Cleusa olhava no guarda-roupas e via aquele vestido que só usara uma única vez no Verão de muito calor. Era…

No mundo de 2070

Como estará o planeta daqui a cinquenta anos? Ou melhor: como você acha que estará o planeta daqui a cinquenta anos? Que tal arriscar um palpite? Fazer exercícios de futurologia pode ser interessante – embora quase sempre frustrante: nem sempre os indicativos nos levam a situações reais que nos pareciam…

When I’m Sixty-four

“When I get older losing my hair/Many years from now” A primeira estrofe da música dá à luz uma primeira dúvida: será que John Lennon teria perdido seus cabelos ao chegar aos sessenta e quatro? E mais, ainda com base na letra: será que Yoko continuaria mandando-lhe presentes do Dia…

O nome certo no lugar errado

Descendente de italianos, dupla cidadania, o carioca Ricardo Di Biaggio morou cerca de seis anos em Roma, onde trabalhou como motorista de caminhão. Com a chegada do euro, a vida ficou mais difícil por lá, principalmente para quem ganhava pouco, e ele se viu obrigado a retornar ao Rio de…

Sobre vírus e vermes

Tempos estranhos esses que estamos vivendo. Confinados. Isolados. Ameaçados por um ser de tamanho desprezível, mas de violência extrema. Um vírus. Impiedoso. Coroado como um rei tirano, despótico, nada esclarecido. Sorrateiro a ponto de nos fazer gelar a um simples espirro, uma dorzinha de cabeça. A paranoia mostra suas presas….

Bodas de Prata

A gente pode comemorar uma separação? Pois cá estou eu, neste 17 de março, comemorando Bodas de Prata ao contrário: completo vinte e cinco anos de um descasamento muito feliz e harmonioso com a bebida. Sabe aquele padrão Alcoólicos Anônimos, segundo o qual a sobriedade se mantém um dia após…

A ilha submersa

Era uma ilha bem distante. Quase no meio do oceano e muito longe do continente. Isolada e misteriosa, não constava de qualquer mapa cartográfico. Na prática, não existia para o mundo exterior, pois ninguém a conhecia. Mas, era habitada. Por um povo altivo, nobre, e muito desenvolvido. Conhecia muito bem…

Desce o braço, Jesus!

A história que se segue é antiga, mas acho que nunca é demais repeti-la, em primeiro lugar porque vem aí a Semana Santa; segundo, porque se baseia em fatos reais (fonte fidedigna, aquelas coisas); terceiro, porque é saborosa demais. Evidentemente, por motivos que veremos mais à frente, conto o milagre,…

O que o tempo altera e vira história

Agora é hora de contar história.
Deixar o tempo reviver na memória o que foi passado, o que foi emoção, o que foi glória.
Conto um conto cheio de encanto, de alegria ou pranto.
Um final feliz, simples e pronto