O que o tempo altera e vira história

Roger

Entre e conte sua história!

“Agora é hora de contar história. Deixar o tempo reviver na memória o que foi
passado, o que foi emoção, o que foi glória. Conto um conto cheio de encanto, de alegria ou pranto.
Um final feliz, simples e pronto.”

Nosso bandido de estimação

O ex-prefeito ficou seis anos sem aparecer na cidade. E, quando chegou foi recebido com festa, fogos de artifício, carreata e o escambau. Ao povo que o acolheu de braços abertos, não fazia diferença que ele estivesse distante esses seis anos porque cumpria pena por pedofilia e fraude em licitação,…

Até que o carnaval os separe

Tinha tudo para dar certo aquele casamento. Tinha. Ele de leão, ela de sagitário. Conjunturas astrológicas às favas, eram carne e unha os dois; bem pra cá, bem pra lá, coisa de dar inveja no clube, no condomínio, entre os amigos. Mentia quem dissesse que já os vira brigando, discutindo,…

Lé com lé, cré com cré, um sapato em cada pé

Impossível ler o texto do Chico Lelis sobre o sapato que fazia caminhos tortuosos nos pés de seu dono e não me lembrar de um caso que aconteceu comigo. Não que tenha envolvido um par de mocassins com vida própria, mas apenas uma dessas pequenas peças que o cotidiano nos…

Um sapato muito louco

Ganhara dos filhos. Era um lindo par de sapatos. Marrom, como ele gostava.  Lembrava muito o velho e bom “Índio Mock”, da Clark, de saudosa memória. Um sapato muito macio, solado de borracha. Confortável, super confortável! Trazia, junto com a lembrança do “índio”, todos os sabores de aventuras e prazeres da…

Luzes, câmera…

Esta história aconteceu comigo, muito tempo atrás, quando eu ainda era um franguinho dando minhas primeiras ciscadas no terreiro da reportagem policial. Ou, se preferir levar dentro das normas rígidas da zoologia profissional, não era um franguinho, e sim um foca. Mas, como foca não dá primeiros passos, pois nem…

Assim caminhava a humanidade

Tem dia que parece noite. E tem noite que nunca acaba. Principalmente quando se está trancado em casa, num dia chuvoso, escuro, depressivo. Vendo a alegria, que os raios de sol poderiam proporcionar de manhã, saudando nosso dia, ser levada pela chuva e escorrer pela sarjeta. Vou até a janela,…

Ritinha, minha canoa e o fazendeiro

Este caso me foi repassado por um ex-jornalista da revista DBO Rural, e que durante muito tempo também militou em outros veículos da chamada mídia do campo. Fonte fidedigna, é claro. O personagem da vez é o fazendeiro mineiro Tião Maia, falecido em 2005, que foi um dos maiores criadores de gado…

Escolha de Sofia

Esta pandemia às vezes nos dá a impressão de estarmos vivendo num postulado filosófico de Dilma Rousseff: “Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta.” Ou seja, não sabemos até quando ficaremos em quarentena – se pensar bem, não sabemos…

A casa que amava seus donos

Era uma casa charmosa. Não exatamente bonita pelos padrões atuais de arquitetura, mas muito, muito charmosa. De rara elegância. E era também muito orgulhosa. Sabia que era a mais bem tratada da rua dos Albericos (ninguém nunca soube o porquê do nome, nem conheceu ninguém com ele que lá tenha…

Uma chuvinha em cima

Que se dane o duplo sentido, mas não existe nada mais saboroso do que acordar com o som da chuva tamborilando no telhado de casa! É claro que isso não se aplica a quem precisa levantar para o trabalho. Ou para trocar uma telha quebrada que provoca goteira. Ou para…

Veranico

(Ensaio sobre o prazer. O prazer puro) Era maio. Mais um desses períodos de lindas e frescas noites, com dias de reinado dos “sóis” do veranico que esquentam, suas tardes. Cleusa olhava no guarda-roupas e via aquele vestido que só usara uma única vez no Verão de muito calor. Era…

No mundo de 2070

Como estará o planeta daqui a cinquenta anos? Ou melhor: como você acha que estará o planeta daqui a cinquenta anos? Que tal arriscar um palpite? Fazer exercícios de futurologia pode ser interessante – embora quase sempre frustrante: nem sempre os indicativos nos levam a situações reais que nos pareciam…

O que o tempo altera e vira história

Agora é hora de contar história.
Deixar o tempo reviver na memória o que foi passado, o que foi emoção, o que foi glória.
Conto um conto cheio de encanto, de alegria ou pranto.
Um final feliz, simples e pronto